terça-feira, junho 27, 2006

A União Europeia está-nos a Tricher e nós a ver!

Está na altura de reduzir os custos do trabalho

...

Que medidas melhorariam a competitividade na Zona Euro e especificamente na Itália e Portugal? O corte dos custos laborais e das despesas correntes?

É importante, não só para a Itália e Portugal, mas para todas as economias da Zona Euro, ter um bom entendimento e um exame muito atento da evolução da própria competitividade, dos custos de trabalho incluindo os progressos ao nível da produtividade, por forma a que se seja capaz de tomar as medidas apropriadas para recuperar a competitividade perdida se houver provas de que esta se está a perder. As reformas estruturais são igualmente essenciais para estimular a competitividade.

De que forma se faz com que os custos unitários de trabalho cresçam a um ritmo que permitam uma recuperação da competitividade perdida?

A produtividade do trabalho é certamente decisiva. Neste domínio, as reformas estruturais tornam possível retirar os benefícios das novas tecnologias e processos. É também importante melhorar os níveis dos custos unitários de trabalho através da moderação nos salários nominais.

...


Excerto de uma entrevista publicada hoje no suplemeto de Economia do DN dada por Jean-Claude Trichet, Presidente do Banco Central Europeu. Ler mais

Já repararam que são sempre os trabalhadores a pagar as crises geradas por estes senhores?
Vocês já alguma vez ouviram estes senhores dizer que é preciso as empresas moderarem os lucros? Ou reinvestirem os lucros nos países que lhes concederam benefícios fiscais e outros? Ou serem obrigadas a investir na formação dos seus trabalhadores?
Já alguma vez os viram dar o exemplo moderando os seus próprios salários para darem o exemplo aos outros trabalhadores?
A União Europeia não joga a nosso favor, ela faz batota (Fazer batota= Tricher) e por isso ninguém melhor que este senhor Trichet para estar à frente dos destinos do Banco Central Europeu!

9 comentários:

Kaos disse...

Vemos algumas empresas a laborar em Portugal que não se queixam nem do nivel dos salários, nem da produtividade e pelo contrario falam muito bem dos trabalhadores portugueses. A Auto-Europa é disso um exemplo. Então qual é a diferença para as outras. Uma gestão eficiente. Isso é que falta a esses Srs que passam todo o tempo a queixar-se sem saberem muito bem como devem fazer. Basta ver o caso da GM em que aqueles que ganham fortunas na administração passam para os trabalhadores a responsabilidade de encontrarem soluções para que cada carro fique 500 euros mais barato. Não é isso a sua tarefa, ou querem que sejam os trabalhadores a fazer a gestão?.
Esta Europa e este mundo correm no caminho errado e vão chegar a um momento em que não vão ter mais saidas.
bjinhos

madalena pestana disse...

Pois é, mas é aí que está a essência do capitalismo...

Nunca paga quem lucra, para simplificar.

Triste mas real.

Kaotica disse...

Pois é preciso cortar esse mal bem pela raíz, tal como para salvar o corpo às vezes é necessário amputar o membro. Esse capitalismo é mesmo uma cobra venenosa que morde o próprio rabo.

luikki disse...

a entrevista do batoteiro foi música celestial nas orelhas do "engenheiro"!

pintoribeiro disse...

Vim retribuir uma visita. Conheci e gostei. Dar boa noite e deixar um bjinho.

Kaotica disse...

Luikki: Pois é estão todos em sintonia; eles tocam e nós dançamos!

Kaotica disse...

Grhiba2: Obrigada por teres vindo. Volta sempre que quiseres. Bjos para ti também!

Alien David Sousa disse...

Será que os Inglesas toparam que isto ia acontecer quando se demarcaram de muita treta??

Anónimo disse...

best regards, nice info »

Blog Widget by LinkWithin