segunda-feira, novembro 27, 2006

É minha convicção que...


1. A múmia devia lavar a boca antes de falar de Cesariny;
2. Quando chegasse então a vez de falar de Cesariny e no surrealismo devia calar-se de vez, em vez de dizer no dia da sua morte que o viu a semana passada na televisão;
3. Como mesmo calado tem aquele ar aparvalhado não devia sequer sair à rua;
4. Como enquanto presidente de todos os portugueses, menos meu, insistem em mostrá-lo nas televisões, deviam estas exibir uma bola vermelha no canto superior direito cada vez que a avantesma fizesse a sua aparição para dar tempo a carregar imediatamente no OFF;
5. A múmia teria dado um belo cadáver exquis se os surrealistas gostassem de representar o que já existe na realidade e a faz voltar a ser triste e cinzenta;
6. Temos que fazer nossas as palavras de Cesariny e pintar o país antes que a múmia murche o último cravo de Abril.

8 comentários:

O Politicopata disse...

Tu gostas do Cesariny???? Olha que sem ofensa à sua memória, não posso deixar passar em claro que ele era uma grande rabona... E das antigas!!!

Kaotica disse...

Antes rabona e firme toda a vida nas suas convicções do que do PSD e frouxo de ideais! O Pafuncio ficou contente com a tua visita. Volta sempre!

Rui Martins disse...

é sempre a mesma coisa... agora que o Homem morreu aparecem sempre uns abutres e carpiderias a tecer loas a quem sempre desprezaram ou insultaram!

cesariny seria o que era...

but who cares?

escrevia e bem, e até estava na minha restrita lista de poetas que gosto e leio.

Outsider disse...

Olá Kaotica, este fim de semana estive longe da net e não fiz a minha visita diária aos blogs dos amigos. Mas hoje já tive algum tempo e vi o que foi postado durante o fim de semana, assim, para poupar trabalho, faço os comentários todos num só. :)
Saúdo a tua excelente homenagem a Cesariny, de cuja obra conheço pouco, mas a julgar pelos teus posts, vou ter que conhecer mais e melhor.
Também não me passou em claro a referência ao 25 de Novembro...
Adorei o post da chuva. Realmente fazemos tudo para termos ilusão de conforto, não nos apercebendo que podemos tirar prazer de coisas muito simples como caminhar à chuva. Obrigado por me teres feito lembrar os tempos de criança, em que adorava andar à chuva com a minha capa impermeável e pular em cima das poças de água com as minhas galochas colibri verdes com olhinhos...
Beijos.

tb disse...

a múmia devia e devia e devia sim senhor, desaparecer.
Excelente homenagem a Cesariny!
jinhos

Kaotica disse...

Rui Martins

Os canitos ladram e a caravana passa, mas a obra de Cesariny - ele dizia que não tinha Obra, mas sim "umas coisitas" - essa fica cá para lhe conferir um valor que muitos hão-de querer menorizar.
Abraço!

Kaotica disse...

Outsider

Obrigada. Fico feliz por te ter trazido essas boas lembranças de infância. Devias ficar um querido com as tais botas de olhinhos ;-)
Abraços!

Kaotica disse...

TB

Pelo tom também viste a múmia no telejornal a falar no Cesariny - um horror show!
Ainda bem que gostaste da homenagem. Já agora aconselho-te um CD onde se pode ouvir o Cesariny (e não só): "Os Poetas" (CD 1997) com música de Margarida Araújo (viola), Rodrigo Leão (sintetizadores), Francisco Ribeiro (violoncelo e voz) com poemas de Al Berto, Mário Cesariny, António Franco Alexandre, Herberto Hélder e Luiza Neto Jorge. Muito bom mesmo!
Abraços!

Blog Widget by LinkWithin