quinta-feira, junho 21, 2007

Decobrimentos: notícias, opiniões e comentários


Se eu disser coisas como: Já não é a primeira vez que meio rato de computador em decomposição é encontrado de cachecol numa prateleira de um tribunal na Boa-Hora dos arrabaldes da Europa, poder-se-á dizer que é apenas exercício de estilo, pura e dura literatura, mera falsidade apesar de certa verosimilhança com a realidade.

Agora se eu disser: Que nojo de país este, no far-west da Europa, onde nas prateleiras de um tribunal, ao lado de um computador, se descobre um rato em avançado estado de decomposição, e já não é a primeira vez! Trata-se de um registo distorcido mas verídico, colado à realidade dos factos; trata-se de uma opinião, e não da notícia propriamente dita:

Sic Online:

Ratos no Tribunal da Boa Hora

Um roedor morto foi encontrado junto ao computador de uma juíza

Ratos e pulgas ameaçam o bom funcionamento da quarta vara do Tribunal da Boa Hora, em Lisboa. Os juízes já pediram por duas vezes a intervenção da Direcção-Geral de Saúde e da Inspecção-Geral do Trabalho.

Isto sim é uma notícia.

Ora nós aqui nos blogs não fazemos notícias, filtramos as notícias que nos chegam do país e do mundo. Interpretamo-las, formando sobre elas a nossa opinião. Também podem ser inspiradoras para quem se ocupa da literatura; a realidade pode ser muito inspiradora da ficção.

Mas o mais normal aqui nos blogues são mesmo as opiniões e estas são tão subjectivas que cada um tem a sua. São formas de observar a realidade, os efeitos que os acontecimentos produzem nas nossas opiniões. Ás vezes a notícia é tão forte que se impõe e então quase nem é preciso acrescentar mais nada. É nosso apanágio aqui nos blogues divulgar a notícia e levá-la a ser comentada nos comentários dos comentadores. Um comentário é outra forma de difundir opiniões e o espaço dos comentários um lugar de diálogo entre opiniões diversas.

Muitos de nós poderão apenas concluir da leitura da notícia que o país está cheio de ratos em decomposição, pois se até nos tribunais…

Outros poderão achar que a culpa foi da mulher da limpeza que não limpou o rato para baixo do tapete, como era sua obrigação.

Ou então os amigos dos animais poderão dizer que o rato morreu porque sofria maus tratos naquele tribunal.

Outros poderão perguntar quantos processos importantes roeu esse rato antes de morrer?

E assim sucessivamente virão outros que procurarão responder a esta pergunta.

As nossas opiniões são pertinentes e inofensivas, a realidade é que é por demais ofensiva, ela desafia a nossa inteligência porque aqui na blogosfera nenhum rato nos roeu o cérebro, o único rato que temos por aqui é o do computador e não está em decomposição, como os outros de carne e osso!

2 comentários:

blueminerva disse...

Ámen!

Kaotica disse...

Tem ratos
tem ratos
tem ratos
tem ratos
vivem escondidos
nos nossos sapatos

Tem ratos
vivem escondidos
nos nossos sapatos
roem-nos os dedos

Tem medos
tem medos
vivem escondidos
nos nossos segredos

Sérgio Godinho, À Queima Roupa

Blog Widget by LinkWithin