domingo, junho 17, 2007

Resposta ao "Desafio sobre ... leituras"

Aceitei este desafio porque veio da Renda, mas avisei-a logo num comentário que eu hoje em dia pouco leio livros, muito menos inteiros; às vezes no Verão lá consigo ler alguma coisa até ao fim. Mas já dou por mim a ler pedaços de livros e admito com naturalidade estar a entrar naquela fase da vida em que se põem em fila de espera vários livros para ler; Das coisas que eu mais guardo saudade é de quando eu não precisava de cuidar de ninguém senão de mim própria e que seguia por esse metro, esses eléctricos fora a devorar livros, ou em que andava por aí de Fernando Pessoa debaixo do braço pelos bancos de miradouros e jardins. Agora é mais a música que traz até mim as palavras certas, de uma forma mais imediata e permitindo-me uma certa mobilidade. No entanto tenho a casa repleta de livros, uns que li, outros que ainda não, outros que provavelmente já nem lerei e mesmo agora todos os dias os quero sentir por perto.

Este era um assunto que atormentava o meu pai para o final da sua vida. Dizia: eu já não tenho tempo de vida para ler nada disto; notava-se que sentia pena de não ler até os já lidos e relidos. Mas ele antes de estar doente era um leitor excepcional, daqueles que numa noite devoram um livro, conseguindo abstrair-se de todo o caos em volta. Quanto a mim, nem por isso. Levo muito tempo a ler, presto muita atenção à escrita e não consigo dispor da continuidade e da atenção necessárias para seguir um livro até ao fim. Desisto muitas vezes de continuar a ler um livro começado. Os da minha geração são dos primeiros que já se queixam de terem demasiadas solicitações para que consigam reservar algum tempo do dia à leitura; ou que têm demasiadas inquietações para se concentrar no enredo de um romance, enquanto o país real está no maior descalabro.

Conheço um amigo que vive só, que não tem nada em casa, só livros. Nem a maldita televisão, nem uma aparelhagem, nada (eu não era capaz de viver sem música), só livros. Quando soube senti uma certa atracção pela ideia mas eu não vivo só, a televisão está quase sempre ligada e há um rádio ou leitor de CD em cada quarto, até mesmo na casa de banho, local por muitos eleito para a leitura mas que para mim nem por isso.

Aqui fica pois a resposta ao desafio, sem cronologia nem nenhum critério literário, apenas assim de repente o que me veio à ideia:

- A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón (um livro bom que ando a ler há que tempos)

- O Triunfo dos Porcos (Animal Farm) do George Orwell (ainda e sempre adaptável à realidade, li-o há pouco tempo aos meus filhos, que também não gostaram dos porcos)

- Alexandra Alpha, do José Cardoso Pires (do qual guardo boas memórias)

- Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro/Fernando Pessoa (porque é tão simples e tão complicado que nos ensina que um poema é um poema entre muitas outras coisas)

- Ilíada, de Homero (porque é um monumento que não está nem um pouco em ruínas onde se apreende sempre mais qualquer coisa)

E estas são as minhas “vítimas” para escolherem os seus livros de eleição:

Linhas de Pensamento

Rei dos Leittões

Espreitador

Classe Política

9 comentários:

João Rato disse...

A amiga Kaótica pôs-me mais uma batata quente nas mãos! Tenho que ver ainda como é que me vou safar desta. Obrigado pelo sinal de reconhecimento!

rendadebilros disse...

Eu ia pedir-te desculpa, que as "correntes" prendem-nos demasiado e sei que , muitas vezes, lhes damos seguimento por amizade... mas também me custa dizer que não a quem me solicita, por isso... mas estás sempre à vontade para quebrar as correntes... mas vi que afinal falaste do que aflige muita gente e dos livros que sempre andam amontoados à espera de ser lidos ou relidos ... e falaste de livros que alguns vão de certeza reler ou folhear . Obrigada por teres arranjado tempo para isto, porque sei que qualquer post , por curto que seja leva o seu tempo...
Beijos.

tb disse...

ai kaotica amiga,
Sabes como sou por essas correntes...
Vou pensar no teu caso. :)dos livros temos algo que nos une.
Beijinhos

Meg disse...

Kaotica, antes do mais quero agradecer o facto de te teres lembrado de mim para esta corrente.
Estou aqui há apenas 3 meses e não me sinto merecedora de tanto. Isso e o facto de ser uma doente dos livros, deixam muito sensibilizada, mas... agora é que é difícil!
Sou como o teu amigo, mas tenho televisão, música. Mas sou muito anárquica e posso garantir-te que seria desonesto dizer-te que livros li, porque na realidade não li nenhum e li todos.
E porque sou, com os amigos, como sou com os livros, não os consigo escolher... ou são ou não são. Depois há o tempo, aliás não há.
Kaotica recebo a tua distinção, mas não lhe posso dar seguimento. Nem a outras que recebi também, ainda hoje.
Porque penso também que estas correntes se tornam uma "pescadinha de rabo na boca".
Peço-te que não me leves a mal, mas tenho de ser franca contigo.
Como vou sê-lo com todos os que, a partir de agora, pensarem na Recalcitrante, para dar seguimento a correntes.
Agradeço-te e peço-te que não me leves a mal. Um abraço

Meg disse...

Kaotica, antes do mais quero agradecer o facto de te teres lembrado de mim para esta corrente.
Estou aqui há apenas 3 meses e não me sinto merecedora de tanto. Isso e o facto de ser uma doente dos livros, deixam muito sensibilizada, mas... agora é que é difícil!
Sou como o teu amigo, mas tenho televisão, música. Mas sou muito anárquica e posso garantir-te que seria desonesto dizer-te que livros li, porque na realidade não li nenhum e li todos.
E porque sou, com os amigos, como sou com os livros, não os consigo escolher... ou são ou não são. Depois há o tempo, aliás não há.
Kaotica recebo a tua distinção, mas não lhe posso dar seguimento. Nem a outras que recebi também, ainda hoje.
Porque penso também que estas correntes se tornam uma "pescadinha de rabo na boca".
Peço-te que não me leves a mal, mas tenho de ser franca contigo.
Como vou sê-lo com todos os que, a partir de agora, pensarem na Recalcitrante, para dar seguimento a correntes.
Agradeço-te e peço-te que não me leves a mal. Um abraço

blueminerva disse...

O "Guardador de Rebanhos" de Alberto Caeiro/Pessoa é um dos livros da minha vida.
Cumptos

PiresF disse...

Embora não pretenda dar seguimento à corrente, cumprirei com a minha parte de divulgação.
Não sei é quando!?, esperemos que para breve.

Grande abraço.

PS: Exceptuando “A Sombra do Vento” que não li, gosto dos teus livros.

PiresF disse...

Prontos! Já está.

Abraço.

sa morais disse...

Ilíada! Sim! Sim! Grande inspiração! E é Hihg-fantasy! Esse género menor para muitos... iluminados...

O Triunfo dos Porcos! Grande livro! Grande alerta!E 84? Grande aviso... Outro que me causa "arrepios" é o Fahrenheit 451.

Blog Widget by LinkWithin