quinta-feira, agosto 30, 2007

Viva essa gente


Arreganhar o dente

O que é preciso é gente
gente com dente
gente que tenha dente
que mostre o dente

Gente que seja decente
nem docente
nem docemente
nem delicodocemente

Gente com mente
com sã mente
que sinta que não mente
que sinta o dente são e a mente

Gente que enterre o dente
que fira de unhas e dente
e mostre o dente potente
ao prepotente

O que é preciso é gente
que atire fora com essa gente

Ana Hatherly
(Porto, 1929)

4 comentários:

J.G. disse...

Fantástico este poema da Ana Hatherly, de quem tive o enorme prezer de ser colega na Faculdade de Letras.
É verdade. apesar da diferença de idade, a Ana foi, em anos 76 ou 77, não sei bem precisar, acabar asua Licenciatura. Não sei se por necessitar dela para qualquer lugar que quisesse desempenhar...ou apenas por puro prazer. Fui colega dela numa cadeira e lembro-me bem que propus para o seu trabalho final, (foi assim naqueles anos de transição)a classificação de 19. Aceite, de resto.
E lembro-me, como se fosse hoje, o ar atrapalhado com que ficou, numa modéstica e timidez tão natural como o seu grande talento.

É, evidentemente, uma mulher da verdadeira cultura muito pouco conhecida no país.

Um abraço.

Kaotica disse...

j.g.

Tens razão, a Ana Hatherly merecia bem ser mais conhecida e já não é a primeira vez que a trago para aqui. Tiveste sorte de a ter tido como colega. Olha que eu também por lá andei (bem mais tarde) e conheci muito matrapanço, quer como colega, quer como prof. (claro que houve excepções a confirmar esta regra!)

Um abraço

João Rato disse...

Temos que "votar" estes calhaus fora antes que o barco vá ao fundo!
Não conhecia a Ana Hatherly, começei a conhecer...

Kaotica disse...

joão rato

Fico contente de ter sido eu a dar-ta a conhecer!

Blog Widget by LinkWithin