segunda-feira, outubro 08, 2007

Poemas de Amor Cativantes II


Imagem daqui
E alegre se fez triste


Aquela clara madrugada que
viu lágrimas correrem no teu rosto
e alegre se fez triste como se
chovesse de repente em pleno Agosto.

Ela só viu meus dedos nos teus dedos
meu nome no teu nome. E demorados
viu nossos olhos juntos nos segredos
que em silêncio dissemos separados.

A clara madrugada em que parti.
Só ela viu teu rosto olhando a estrada
por onde um automóvel se afastava.

E viu que a pátria estava toda em ti.
E ouviu dizer-me adeus: essa palavra
que fez triste a clara madrugada.

Manuel Alegre, Trinta Anos de Poesia

3 comentários:

João Rato disse...

Ainda há lugar no PS para quem canta assim?
Um abraço em verso

Kaotica disse...

Eu se fosse o Manuel Alegre só escrevia poemas. E tenho a impressão que basicamente é isso que ele faz. Deixa que o castigo dele é estar rodeado de "yes, minister"'s. "Estamos aqui para apoiar o governo!" -- disse um dia um -- e nenhuma evidência o faz mudar essa postura, não vá perder o assento.
Ora o Manuel Alegre é um homem bem assentado, embora às vezes se sinta incómodo e mexa o rabo na cadeira.

TC disse...

Gostei do desenho, só a cor faz quase tudo, não é? eheh

Blog Widget by LinkWithin