sábado, março 08, 2008

Mensagem de uma mãe para uma professora...


Olá A.

Claro que também vou lá estar, pelo futuro digno dos meus filhos, por uma escola pública gratuita e equitativa, por um ensino de qualidade, pelo crédito que me merecem muitos professores (outros não são verdadeiramente professores, como há pais que não são verdadeiramente pais), pela defesa da nação contra as políticas educativas e as leis economicistas e destruidoras da res publica, contra todos os ministros de todos os governos que queiram impor à força as directivas da União Europeia em nome do cumprimento obstinado do défice e do favorecimento da privatização em detrimento do bem comum.
Por tudo isto vou lá estar como mãe, pelos meus filhos e pelos professores dos meus filhos, contra Albinos e sinistras ministras, em unidade com os verdadeiros intervenientes no processo educativo: alunos e professores, em defesa da escola pública. Obrigada pelo apoio. Como representante dos pais levei o vosso documento aprovado em CP ao CP da escola dos meus filhos. Como presidente da associação de pais levei o vosso documento à Assembleia-geral para dar a conhecer aos pais as razões da vossa inquietação (razões que também são dos pais). Em ambos os lados acolhi fraca participação, mas fiz o que estava ao meu alcance e continuarei sempre a fazer. Amanhã vai ser a grande manifestação da nossa indignação comum.

Um abraço


(estarei junto ao monumento ao 25 de Abril no cimo do Parque Eduardo VII a partir das 14.00 ou, se houver desencontros, em frente à Livraria do DN, no Rossio, pelas 16h)

9 comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem que nos compreendemos. Estamos juntas por uma melhor escola para os nossos filhos e os nossos alunos!
Ana (uma professora)

Ferroadas disse...

Constituição da Republica Portuguesa

Artigo 74.º
(Ensino)

1. Todos têm direito ao ensino com garantia do direito à igualdade de oportunidades de acesso e êxito escolar.

2. Na realização da política de ensino incumbe ao Estado:

a) Assegurar o ensino básico universal, obrigatório e gratuito;

b) Criar um sistema público e desenvolver o sistema geral de educação pré-escolar;

c) Garantir a educação permanente e eliminar o analfabetismo;

d) Garantir a todos os cidadãos, segundo as suas capacidades, o acesso aos graus mais elevados do ensino, da investigação científica e da criação artística;

e) Estabelecer progressivamente a gratuitidade de todos os graus de ensino;

f) Inserir as escolas nas comunidades que servem e estabelecer a interligação do ensino e das actividades económicas, sociais e culturais;

g) Promover e apoiar o acesso dos cidadãos portadores de deficiência ao ensino e apoiar o ensino especial, quando necessário;

h) Proteger e valorizar a língua gestual portuguesa, enquanto expressão cultural e instrumento de acesso à educação e da igualdade de oportunidades;

i) Assegurar aos filhos dos emigrantes o ensino da língua portuguesa e o acesso à cultura portuguesa;

j) Assegurar aos filhos dos imigrantes apoio adequado para efectivação do direito ao ensino.


A luta continua

BJS

Pata Negra disse...

Eras tu que estavas com o chapéu?

rendadebilros disse...

S� vi estas possiblidades de encontro quando regressei... Foi pena...
Beijos.

Kaotica disse...

Ana

Que grande manifestação! Foi bonita a festa, pá! Mas ainda a procissão vai no adro. Não se pode nem se deseja desistir! Tudo depende da capacidade de união e de cidadania entre professores, pais e cidadãos empenhados em defender a escola pública.

Kaotica disse...

Obrigada, Ferroadas, por trazeres para aqui a Constituição! Essa é uma lei nossa que não podemos deixar ser pisada por directivas da União Europeia que resultam nas políticas educativas do ME.

Um abraço

Kaotica disse...

pata negra

Chapéu talvez mas o garruço não há Ministra que mo enfie!
Chapéus há muitos... eu tinha era uma t-shirt com o Tantan e a Milu (e olha que ainda vim a descobrir um cartaz igual! Grande festa! Só faltou mesmo foi cumprir os horários destes encontros para vos poder conhecer. Isto quem tem crianças para dar almoço... (ou lhes dá fast food ou arrisca-se a chegar atrasado!)
Mas no fundo estivemos todos lá e todos juntos. Quem sabe não nos cruzámos naquela Praça do Comércio tão cheia de gente!
Nestas coisas dos blogs (e não só) a minha filosofia é: será quando tiver que ser!

Um Abraço

Kaotica disse...

renda

Também por cá andaste nesta grande marcha da nossa indignação. Como foi bonito! Sabes que às tantas resolvi subir a avenida contra a corrente para ver os vários movimentos (escolas). Fartei-me de andar e só consegui ver o SPGL, a região centro, Coimbra (AI AI AI AI Não gosto dessa mulher /quero vê-la longe de mim/não faço o que ela quer...) e Viseu. Parece que a região Norte ainda vinha a perder de vista lá muito para cima. Era tanta gente! Gente boa!

Havemos ainda de nos conhecer pessoalmente!

Bjos

Pata Negra disse...

Pronto, já vi na Sinistra, estás identificada, também já percebi que me cruzei com o Kaos.
Quanto a mim, o DN impresso de Domingo, haveria de encontrar-me entre 100 mil almas e escarrapachar-me de corpo maior nas páginas 2 e 3 cortando-me a face nas dobras - estarei a expor-me muito!?

Blog Widget by LinkWithin