sexta-feira, março 21, 2008

Video edificante de uma sala de aula nossa contemporânea

Isto que vou dizer, vindo de quem vem,uma mãe, soa muito mal, mas aqui vai: a cena é absolutamente lamentável: a miúda às tantas está com um ataque de parvoeira adolescente e entra em histeria, mas a professora não é melhor, que me perdoem os fanáticos defensores incondicionais - se havia de manter a sua postura, entra na onda da pequena e começam as duas a puxar pelo TM - triste ícone desta tragicomédia. Se a prof. tivesse um pingo de bom senso, largava o telelé e ia lá fora tratar de chamar os pais da princesa. Para a turma, claro aquilo foi só cortir. A mãe da piquena também entrou a matar (a histeria não é hereditária?) e os media hão-de acabar por fazer o resto: amanhã já um pasquim foi falar com a moça que se vai sentir uma espécie de Zé Maria da sala de aula, vai ser famosa que é o que eles hoje querem, graças aos edificantes programas da TV. Ruído, só ruído para abafar o essencial que é a luta que os professores continuam a travar. Videos destes deve haver milhentos: até a minha filha de 11 anos contou logo que lá na sala já se assistiu a algo parecido! (ver aqui o video)

9 comentários:

Ferroadas disse...

Amiga, quando era jovem também fui rebelde, e ninguém me fazia o ninho atráz da orelha, como se diz, havia professores que não "podiam comigo" que me punham na rua por dá cá aquela palha. A rebeldia vinha da falta de pão que havia na mesa, de ver os meus pais com dificuldades, do ter de ir trabalhar quando saía da escola e ver os outros irem brincar, etc.

Mas uma coisa havia, RESPEITO. Era rebelde mas respeitava os meus semelhantes. Hoje é o que se vê.

PS (salvo seja)
Uma bofetada bem forte na "minina" penso que resolvia o problema.
Por alguma razão nunca quis ser professor.

BJS

Marreta disse...

Concordo. Realmente se a aluna esteve mal, a professora ainda esteve pior. Mas isto não é um problema actual, já vem de há long time ago. Nos meus tempos de estudante até se poderia dizer que esta tal aluna era uma autêntica betinha! Se eu fosse contar cenas que se passavam nas aulas naquela altura teria que escrever uma enciclopédia com centenas de volumes, tamanha era a balbúrdia e o descontrolo. Por isso, o problema da educação neste país arrasta-se há muito tempo, demasiado tempo, e aqui, certamente, reside um dos factores motivadores do nosso atraso social e cívico para não ir mais além.
A minha opinião, enquanto curioso atento da matéria, é que não existem políticas coerentes nem consequentes na área educativa, alterando-se, mexendo-se, inventando-se à vontade do freguês (ou seja, neste caso à vontade do governo em funções) sem critérios válidos, como se tratasse de uma aula de química experimental em que se misturam uns pós e uns gases para ver o efeito que surte.
Saudações do Marreta.

Eva disse...

Concordo em absoluto contigo Kaótica.
Engraçado que, também o meu filho de 10 anos, quando viu o vídeo, comentou que está cena foi semelhante a uma que vivenciou na escola que frequenta.
Uma boa páscoa para ti e toda a família

Eva

Eva disse...

Concordo em absoluto contigo Kaótica.
Engraçado que, também o meu filho de 10 anos, quando viu o vídeo, comentou que está cena foi semelhante a uma que vivenciou na escola que frequenta.
Uma boa páscoa para ti e toda a família

Eva

Pata Negra disse...

EStava para comentar mas acabei de comentar no garden!
Um abraço - triste cena - triste país - triste!

samuel disse...

É principalmente muito triste... mas não devia ficar impune para nenhum dos participantes, sem excepção.

Abreijo

Moriae disse...

Concordo. Mas dá-me ideia que estás a sentir que todos os professores são assim ou assado. Não são, amiga. E tu sabe-lo portanto não o esqueças. Tens uma tarefa muito importante em mãos, ou várias.

Não sei se não publicas alguns textos na sinistra por achares que somos profs mas olha, coloca lá o que bem entenderes. É importante haver posturas diferentes (e cá para mim, não serão tão diferentes de uns e outros eheh).
De qquer modo, da discussão se faz luz, ou nasce a luz.


Gosto muito de ti K.! Fica bem,
m.

Kaotica disse...

moriae

Claro que conheço e sei que existem professores óptimos, sempre tive alguns óptimos, como professores ou como amigos.
Mas neste caso não posso achar que esta professora tivesse tido uma boa forma de proceder. E vais ver que o tempo me dará razão. Tudo isto vai assumir (já está a assumir) contornos gigantescos e as pessoas vão usar este caso como exemplo. Muitas injustiças serão cometidas e vais ver que no final alguém que não tinha nada a ver com o caso é que vai arcar com as consequências de toda esta mediatização.

Gostava que estivéssemos mais próximas para conversar cara a cara nesta e noutras coisas.

Abraços

Moriae disse...

Paula, a forma da docente proceder foi péssima ... e assumi a minha opinião em muitos lados. E independentemente dos motivos que possam justificar isto e aquilo, como dizes, uma sociedade doente, a verdade é que deparámos com estes resultados.
Tb tenho pena de não vivermos mais perto! Enfim, a função social dos blogues ...
Bjos

Blog Widget by LinkWithin