sábado, junho 14, 2008

Na Irlanda venceu o NÃO. Viva a Irlanda!

Referendo europeu: ministro da Justiça irlandês reconhece vitória do "não" (Público)

Sabes pai, os irlandeses votaram NÃO ao Tratado de Lisboa. Vê lá tu que eram o único país que ia consultar o povo através de referendo e as pessoas conscientes foram lá e disseram NÃO ao tratado dos tratantes. Tu havias de gostar de os ver a ter que admitir que foi uma grande derrota para as suas carreiras políticas. Eles talvez cheguem lá onde querem, mas vão ter que subverter as regras democráticas debaixo dos nossos olhos e nós vamos estar cá para lhes dizer que estão a pisar o risco e a não deixar... o pior é que nós aqui vamos deixando tudo, permitindo-nos perder tudo o que antes conquistaramos, somos uns otários, tanto estamos optimistas como pessimistas, conformamo-nos com os dois estados de alma. Temos demasiada alma e pouca raça. Suportamos calados sermos dirigidos por gente de má raça.
Mas hoje esta vitória do NÃO é uma vitória à dimensão europeia. Neste momento muitos irlandeses, portugueses, espanhóis, alemães, franceses, gregos, estão contentes como nós com este NÃO.
Como diabo vão eles agora inverter as regras do jogo? Que batota irão cometer? Se tu estivesses cá tu havias de saber e de dizer logo que esses filhos da puta não vão respeitar nada nem ninguém e vão dar a volta à questão. Tu não tinhas nenhuma consideração por esses indignos, pois não? Tu é que os topavas a todos.
Hoje fomos sair à noite com os miúdos. O Fernando Pessoa fazia anos (120, vê lá tu, lembro-me bem quando fez 100) e havia uns grupos de rap que iam fazer uma Hip HoPessoa, em homenagem. Estava pouca gente mas nós gritámos vivas à Irlanda aos quatro ventos. De vez em quando IRLANDA... estava uma noite de andar na rua.
Isto mostra que na Irlanda há gente consciente do perigo que corre a Democracia. Como seria por cá? Achas que o SIM ganhava e que o Sócrates progredia na carreira política? Se fosse agora não me parece!
Sabes, hoje sinto-me optimista, sei que na Irlanda há quem diga NÃO e vença.
O que diria o Fernando Pessoa disto tudo? Se fosse vivo estaria instalado no poder, seria um burocrata cumpridor que à noite soltava a fera a sós? Ou apenas um excelente poeta consciente da sua impotência de poder mudar o mundo mesmo com aquela monumental poesia. Mas terá ele realmente alguma vez desejado que o mundo fosse outro? Sem dúvida que sim.

7 comentários:

ferroadas disse...

Olá amiga

O Fernando Pessoa a esta hora estava a festejar, bebendo uns copos no Martinho e a rir-se destes tecnocratas de meia pipa.

BJS

rendadebilros disse...

Já estão a querer dar-lhe a volta... mas os ingleses, espanhóis e tal não têm maioria absoluta nos parlamentos e tudo pode acontecer, se ainda não entenderam... que é preciso nova visão da questão...

Ai coitadinhos dos irlandeses que ficam sozinhos - dizem alguns... devem ficar tão infelizes como os igleses sem euro... com libras ( para não se confundir com o euro da bola que nunca se sabe...) o conselho transitório deve transitar para coisa nenhuma, embora o poder seja muuuuuito apetecível...

Beijos. Bom fim de semana.

David disse...

Ainda bem que as vezes nao percebo de politica, nem quero perceber. Para chulos, direi NAO a vida inteira :D

Kaotica disse...

ferroadas

Lá tinha ele que escrever a versão II do Ultimatum aos mandadores da Europa.

VIVA A IRLANDA!

Kaotica disse...

renda

Amiga, nem sabes como fiquei feliz, embora tenha consciência de que eles vão voltar à carga. Passam por cima de tudo, até das regras que eles próprios criaram. É a expressão máxima do desespero neo-liberal. Se o povo irlandês diz NÃO, vote-se o povo irlandês ao ostracismo!... e siga a tramóia! -- eis a sua solução!

Beijos para ti também. Um excelente Domingo!

Kaotica disse...

david

Perceber de política não nos torna igual aos políticos que abominamos. Precisamos de conhecer o inimigo para lutar melhor contra ele. A política é como o mito do Édipo -- quanto mais insistimos em fugir para longe dela mais nos embrenhamos nas suas teias!

Sejas bem vindo

Porca da Vila disse...

O resultado por cá talvez não fosse muito diferente da Irlanda. Assim não tivesse sido negado ao Povo o direito de votar...

Xi Grande

Blog Widget by LinkWithin