quarta-feira, agosto 13, 2008

Maré de Comentários

Marreta disse...

Mas quem é que quer saber do Palácio dos Henriques?! Se fosse um McDonalds ou uma pizzaria qualquer, decerto estava abarrotada de obesos a mastigar gordura saturada. Se ainda por lá se vendessem telemóveis baratos ainda podia ser que houvesse uma bicha à porta. Se tivesse um cartaz à porta a anunciar uma rave com muitos cogumelos a 5 euros/pax ainda haveria confusão para chegar à bilheteira. Se fizessem tatuagens baratas ainda vá lá. Se houvesse um casamento, daqueles de Agosto, com sotaque franciú, com muita brilhantina, fatos a cheirar a bolor tirados do roupeiro depois de 4 ou 5 anos sem de lá terem saído, e 20 ou 30 pratos para comer até ao enfarte do miocárdio, mas sem esquecer de deixar no bolso do noivo o envelope com 200 aéreos, ainda está bem, de certeza que o palácio era pequeno para a afluência. Agora, um palácio? O que é que um palácio pode ter lá dentro de interessante, para sequer manter um porteirinho que seja? Bah! Essas coisas não interessam. Cultura é centro comercial, é passar 2 horas na bicha para chegar à praia, abancar na areia ao 1/2 dia, trabalhar para o cancro até às 2, arrancar para o tasco, emborcar uma feijoada e uma litrada de carrascão, regressar ao areal, fazer mais 2 ou 3 horas de fritura, e por fim passar mais 2 horas no trânsito para chegar a casa. Cultura é lavar o pópó no Elefante Azul ao Domingo de manhã, é passear os chanatos comprados a crédito na Charles e a camisa dos ciganos - porque o crédito não dá para tudo - ao Sábado à tarde, de telmóvel numa mão e chave do carro na outra, no COntinente, mas com o carrinho cheio de ar apenas com 2 pacotes de bolachas, 1/2 dúzia de iogurtes da casa e 1 molho de t-shirts de 1 aéro cada, porque a tal dos ciganos precisa de pelo menos 1 lavagem por mês. Palácios! Igrejas! Só se for para a hóstia ao Domingo. Ah! E cultura, ou não fosse amanhã dia 13, é Fátima. Amen.
Saudações do Marreta.

7 comentários:

Maria Branco disse...

Neste país é impressionante como se deixa degradar o património a favor de auto-estradas todas tortas para chegarmos mais depressa aos escombros.

Isabel

Pata Negra disse...

Palácios?! Antigos ou modernos tem sempre como origem a injustiça social!
Quem não conhece o Marreta pensa que este está a falar com ironia.
Quem não conhece o Marreta pensa que este está a falar palavras dele.
Mas não, ele é um in-culto que posta postes roubados, que comenta com cometários de outros, um autêntico artista do copy-paste! Ou não tivesse ele uma "licenciatura em extorsão e corrupção activa" - disse ele!...
Abaixo os palácios e todas as construções que representam o trabalho dos oprimidos para o bem-estar dos opressores!
Abaixo o Marreta! Viva o Marreta! Abaixo eu! Viva eu!
Viva a Kaótica! A... braço à Káotica!

Marreta disse...

Olha que ele é! E não me disseste nada! Tinha mudado de gravata e trocado o blusão por um fatinho em condições, daqueles que só saem do roupeiro em dias de casamento. Nem sequer tive tempo de aparar as sobrancelhas!
Saudações à la carte do Marreta.

Kaotica disse...

Isabel

We're on the road to nowhere! (Talking Heads)

Pois é isso mesmo. Auto-estradas para lugar nenhum, só para as concessionárias empocharem uns bons cobres nas portagens e estações de serviço. Quando essa malta tiver que andar de helicóptero para não ser linchada, nem com as auto-estradas se vão importar. Os mais pobres dos mais ricos andarão de TGV e os mais ricos dos mais ricos será vê-los passar de aviãozinho particular ou no helicóptero do papá. Como diria a Múmia de Boliqueime (e agora com ele todos os jornalistas afinados): "É o puguesso, o puguessozinho"!

Abraço!

Kaotica disse...

pata negra

Palácios comigo também é PIM PAM PUM!
O Marreta idem idem aspas aspas, mas que queres acho-o giro e por isso achei que ficava a matar aqui no meu Pafúncio. Agora diz que quer rapar as sobrancelhas, vê lá tu bem, que é o que dá charme ao piqueno. Foi isso e o Manifesto Anti-Sócrates colocado aqui ao lado, tudo pequenos retoques de malvadez que vieram embelezar este espaço numa altura em que se tem que usar os recursos disponíveis sem realizar grandes investimentos. Agora só espero que a Universidad não me venha cobrar os direitos de autor...

Um abraço porcino (um dia destes lembrei-me tanto de ti ao ver no símbolo do Google o porco chinês a dar o salto olímpico, viste-lo?)

Bjos

Kaotica disse...

marreta

Ficou lindinho, não ficou, pelo menos fazendo assim tal e qual, copy paste não se corria o risco de eu estragar muito.

Não apares as sobrancelhas, gosto delas cabeludas. Além disso são símbolo de homens com co...ragem para dizerem o que pensam sem floreados! Aprecio.

Beijos

Pata Negra disse...

Ah! Já percebi! Sempre que vês um porco lembras-te de mim!
Um abraço de rabo torcido

Blog Widget by LinkWithin