segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Bloco de Esquerda: propostas

Imagem daqui

BE contra despedimentos em empresas com lucros - EVA CABRAL


VI Convenção. Corrente minoritária quer programa anti-capitalista

Bloquistas dizem que empresas com apoios não merecem dividendos

As respostas de esquerda à actual crise financeira, económica e social marcaram o discurso de abertura da VI Convenção do BE, com Francisco Louçã a deixar duas propostas concretas: a proibição de despedimentos em empresas que apresentem resultados positivos e o não pagamento de dividendos aos accionistas naquelas que tenham recebido qualquer forma de apoio estatal.

O líder do BE defendeu igualmente que "tudo o que é bem comum deve ser público" dando como exemplos os sectores da água, saúde, comunicações e energia. Segundo Francisco Louçã, a questão das nacionalizações é uma prioridade, lembrando que "a expropriação do bem comum pela sofreguidão conduziu ao desastre". Na lista encabeçada por Louçã figuram os dirigentes que o têm acompanhado nos últimos anos, com excepção de Joana Amaral Dias.

O dia de ontem ficou ainda marcado pela intervenção de Isabel Faria - de uma das duas listas alternativas à actual direcção -, que defendeu que o Bloco devia avançar com a criação de um verdadeiro programa anti-capitalista que incluísse a esquerda do PS, o PCP e Manuel Alegre.

Para Isabel Faria, depois de dez anos de presença coerente na oposição o BE deve agora esforçar-se para ser uma alternativa efectiva de poder.


in Diário de Notícias, 08/02/2009

3 comentários:

Diogo disse...

Joe o Canalizador, que afirmou que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel, foi enviado como jornalista ao Médio Oriente

Samuel Joseph Wurzelbacher, por alcunha «Joe o Canalizador» (Joe the Plumber) , de 35 anos, ficou conhecido pela pergunta que fez a Barack Obama acerca do plano de impostos do agora Presidente eleito, acusando-o de socialista, um argumento que passou a estar na ordem do dia do lado republicano, para o qual passou a fazer campanha. Tudo isto transformou Joe, de um dia para o outro, numa estrela e herói nacional.

Durante a campanha eleitoral americana, Joe o Canalizador afirmou que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel. "Vocês não querem a minha opinião sobre política externa. Eu só sei o suficiente para ser provavelmente perigoso", afirmou em entrevista à Fox News.

O mais famoso canalizador do mundo abandonou as rupturas de lavatórios e as sanitas entupidas para se dedicar a tempo inteiro à política internacional. De tal forma que, contratado pela PajamasTV, viajou para Israel, onde permaneceu 10 dias para cobrir a crise em Gaza e falar com "as pessoas da rua".

Jon Stewart, do Daily Show, mostra-nos uma das primeiras intervenções de Joe o Canalizador em Israel:


Jon Stewart: Este homem enviado como jornalista para o Médio Oriente, deu a sua opinião de tipo normal sobre o jornalismo de guerra.

Joe o Canalizador: Vou ser franco. Os jornalistas não deviam estar perto dos conflitos. Vocês relatam onde estão as nossas tropas. Relatam o que se passa a cada dia. Dão muita importância a isso. Acho uma parvoíce. Agora, toda a gente opina.

Jon Stewart: Sim, toda a gente opina. Sou eu que o digo, Joe o Canalizador. Muito bem Joe. O jornalismo de guerra não presta. Qual é a alternativa?

Joe o Canalizador: Gostava de como era na Primeira e Segunda Guerras Mundiais, quando as pessoas iam ao cinema e viam as tropas no ecrã. Toda a gente ficava empolgada e feliz por elas.

Jon Stewart: Que idade tem? Primeira e Segunda Guerras Mundiais? Sabe, Joe, esses noticiários eram filmes de propaganda. Tinham o seu encanto mas a informação tinha lacunas. Mas continue a pintar a ignorância voluntária. Como uma espécie de virtude refrescante. Para que conste, acho que a Alemanha também teve desses filmes.

[Imagens de um documentário da Alemanha nazi]: Bem-vindos, Alemanha. Lá estão os nossos rapazes de castanho, o orgulho da força de combate da Alemanha. Podem ser o Terceiro Reich mas são os primeiros nos nossos corações. Cuidado, ciganos e homossexuais. Toda a gente está maluca por causa do Führer. Miudinha: "Posso oprimir judeus quando for grande?" Hitler: "Não te preocupes, querida. Estaremos por cá nos próximos mil anos."


Vídeo legendado em português

Portaria ILEGAL disse...

Aprenda a roubar Portugal aqui: http://portaria-59.blogspot.com/

Safira disse...

Olá Amiga!

Já tenho conhecimento das novidades de Pedreira, minha querida, não lhe vai servir de nada . Os professores não querem a divisão da carreira e pronto! Qual foi a perte que o ME não entendeu?

Já estive no Bilros e tb deixei lá um comentário. Entretanto há razões para sorrir. Espreita o Umbigo.

Olha, se tiveres as fotos do jantar podes mandar, ok?

O joaquim está com uma grande gripe, com febre e arrepios. Acho que ele ia hoje ao médico, depois dou-lhe o teu abraço.

Beijinhos,

Safira

Blog Widget by LinkWithin