quinta-feira, maio 21, 2009

Levantamento dos problemas do desemprego e do emprego que temos e que não temos

DESEMPREGO!!!

Boas,
Hoje vi o Jornal da Noite da SIC, a crise no desemprego em Portugal e na Europa.
Bem, hoje também estive na Segurança Social e a responsável da segurança dizia às pessoas que isto não tende a melhorar, cada dia vêm mais pessoas ao serviço, ela nunca tinha vista nada assim, e já lá trabalha à alguns anos.
Então, segundo o Governo, há cerca de 500 mil desempregados em Portugal, mas será só isso o problema do emprego em Portugal? Claro que a situação é muito grave, mas ainda agora começou, se bem que o Governo não quer reconhecer isso para esconder a verdade.
Mas além disto há muitos mais problemas a nível do emprego, problemas esses que já existem desde sempre e que nunca foram resolvidos:
- Recibos Verdes
- Empresas de Trabalho Temporário
- Jovens que como não têm experiência de trabalho, não podem concorrer a determinados empregos
- Trabalhadores, diria, com mais de 35 anos, já são considerados "velhos" para trabalhar, mas são muito novos para a reforma
- Trabalhadores Ilegais, que mesmo que queriam legalizar-se, é quase impossivel
- Trabalho sem condições de higiéne e segurança
- Trabalho abusivo, horas extra-ordinárias em demasia e não pagas (escravidão, que muitos admitem que já não existe)
- Trabalho sem respeito nem dignidade
- Trabalhadores sem descontos para a Segurança Social
- Trabalhadores sem formação especializada
- ETC
Um conjunto enorme de problemas que estão a prejudicar os trabalhadores deste pais, pessoas estas que financiam todo um pais e são muitissimo maltratadas e desrespeitadas!!!

ISTO NÃO PODE CONTINUAR!!! TEMOS DE NOS UNIR PARA ACABAR COM ISTO!!!


Humanocracia, João Correia

5 comentários:

Anónimo disse...

e tu sabes qual é a solução para estes problemas ou não?

Ferroadas disse...

Eu sei

Auto-gestão para as empresas e governo popular.

Paula Montez disse...

Eu também sei:

Exigir a proibição dos despedimentos;
Retomar os milhões de biliões de euros dados à banca para alimentar a especulação do capital financeiro;
Usar esse dinheiro para apoiar empresas (com os trabalhadores a controlarem a produção, como está previsto na Constituição Portuguesa);
Renacionalizar os sectores estratégicos da economia;
Colocar o sector energético ao serviço da produção;
Reanimar as nossas pescas, as nossas fábricas, a agricultura, os serviços públicos;
Usar o dinheiro dos subsídios de desemprego para suportar os custos do emprego;
Cooperar com as outras nações europeias (e não só) para gerir racionalmente os recursos do planeta, de forma a explorá-los de uma forma equitativa.

Claro que não é dentro das instituições ao serviço do capitalismo global que vamos conseguir fazê-lo. Terá que ser um movimento que parta da vontade dos povos de mudar de políticas e de estratégias, no sentido da cooperação e não da "livre concorrência".
Mas para mais informações aconselho o meu caro anónimo a fazer duas visitas:

http://pous4.no.sapo.pt/page_2.html
http://rueportugal.wordpress.com/

Kaotica disse...

E já agora convinha que as organizações dos trabalhadores começassem a unir os trabalhadores numa mesma frente, para exigir a proibição dos despedimentos e o fim da precarização do trabalho. Que estão à espera para colocar toda a função pública na rua a protestar ou em greve geral? Afinal não estão todos os trabalhadores da função pública a perder os mesmos direitos anteriormente conquistados? Não estão todos a perder o vínculo ao Estado e a sentir na pele a divisão das carreiras?
Enquanto os dirigentes sindicais se limitarem a passear juntos pelas ruas de Madrid a brincar às CES e às CSI, os trabalhadores não podem realmente confiar na eficácia das suas lutas. Há que empurrá-los para a frente; já não é a primeira vez que a massa os força a defender o que está certo. No entanto é nítido que o que está aqui em causa é que há muito quem queira segurar o sistema. Dizem-se do lado0 dos trabalhadores mas estão a concertar ao mais alto nível dando livre curso ao sistema capitalista que fingem combater.
Como lutar contra isso? Os trabalhadores que tomem a seu cargo sindicatos e empresas e retomem os seus direitos.

João Correia disse...

Boas,

Sou o João Correia, autor do artigo publicado neste blog e autor do Blog chamado HUMANOCRACIA.
Só há uma forma de resolver todos os problemas em Portugal, não só o desemprego, mas também, Justiça, Saude, Educação, etc.
Primeiro, temos de fazer uma REVOLUÇÃO e acabar com duas mentiras, uma chama-se POLITICA e a outra DEMOCRACIA.
Depois instaurar um novo sistema chamado HUMANOCRACIA, onde todos os cidadãos deste pais podem participar.
Para mais informações, por favor, consultem o Blog:
www.humanocracia.blogspot.com

cumprimentos

João Correia

Blog Widget by LinkWithin