domingo, maio 27, 2007

Vários posts num só que se faz tarde


Os dias passam alucinantes. “Tão cedo passa tudo quanto passa”. Passa o tempo, passam os dias, qualquer dia até já passaram anos. Passa a vida. Mas enquanto vivemos cada momento, não pensamos nisso.


Estive agora a ver o Eixo do Mal. Tanto que se riu para lá do estado da Nação! Eu também tive que me rir, claro, já antes me tinha rido. O riso não desapareceu. Nós é que estamos bem arranjadinhos com o país que temos, com as pessoas que mandam nele. Cada dia surgem mais anedotas. Eles são as anedotas que contam deles. Reproduz-se os seus discursos tal e qual e não é preciso acrescentar mais nada para serem uma anedota. É uma vergonha, tem que se contar a toda a gente, torná-los uma anedota nacional, achá-los risíveis: os seus gestos e as suas palavras. Não há detector de mentiras que detecte mais depressa só de olhar para a cara desses aí na televisão. Não auguro um bom dia de amanhã ao governo, nem ao Mário Lino, nem ao Manuel Pinho, nem à Maria de Lurdes Rodrigues e nem mesmo ao próprio Sócrates. Acho até que a esta hora até já se justificava uma manifestação, várias, à porta da múmia de Belém como foi com o Santana. Qual é a grande diferença entre imagens de incubadoras e bracinhos e desertos do Saara? Estava realmente na altura certa de mudarem os ministros, coisa que toda a gente acredita que seja só mudar as moscas e, por isso não valer a pena. Eu também acho que mais importante é mudarem-se as políticas, mas já era um começo.


No nosso país parece que nada vale a pena. Decretou-se que havia uma coisa chamada realidade que tínhamos que viver com ela e conformarmo-nos. E conformam-se. Ou seja, agem em conformidade com a situação. O Sócrates precisava agora mesmo de pôr essa canalha a andar dali para fora, só que não pode porque ele é o cabecilha dessa canalha. Aqueles são os seus homens, inclusive a Lurdinhas e a da cultura, como mandá-los assim todos embora, se eles até lá têm estado a fazer as políticas daqueles senhores lá da União Europeia que lhe dão prazos? O homem está num dilema, até já emagreceu de tanto dar voltas à cabeça como resolver a situação. A situação, não, as situações, que já são demais, contando com a que ele próprio criou com as ambições das engenharias. Lá no tal programa do Eixo do Mal passaram o tempo a rir, uma das vezes até foi às gargalhadas, com o da Economia. Havia tanta coisa de que se rirem que até nem precisaram de ir às palavras terríficas do Almeida Santos dos atentados terroristas às pontes. Então este país não está mesmo a convidar à anedota? E o humor não faz senão descobrir os traços ridículos ou grotescos que já lá estão, que fazem parte. Pode ser um cómico de situação, como no caso do ministro Mário Lino, que além disso também é um cómico da linguagem. Um enredo alucinante e alucinado num discurso absolutamente espatafúrdio e risível. Na TSF alguém disse logo que entrou em linha que o ministro certamente estava bêbado, o que foi considerado úm termo impróprio para o programa de rádio. Mas eu hoje estive atenta às imagens e o ministroi parecia até pelos gestos corporais estar realmente bêbado, nem que seja bêbado de poder dizer aquelas alarvices para as televisões. Eles revêm-se depois nas gravações? Ouvirão o que dizem? Sentirão vergonha? Eu não acredito. Aquilo é tudo gente tão sem vergonha na cara que são capazes de no dia seguinte dizer pior que não foi bem aquilo que quiseram dizer. Um fiasco, esses ministros, só mesmo para rir. Haverá alguma ficção capaz de nos fazer rir mais do que as coisas que eles dizem publicamente? Nenhuma ficção pode ser melhor.


Só a do Kaos, é claro. Eu adoro aquele Kaos, o seu humor, a sua crítica certeira. Muito me custou hoje não lhe atribuir mais um par de prémios, mas ele já tem tantos! Sabem que fez anos, não é verdade? Quem diria que o Kaos também fazia anos… com ele o tempo parece chegar para tanto. Não, aqui nos blogs ele não parece ter a idade que tem. E quem o conhece, ele começa a falar e também não. Poder conhecer o Kaos é a melhor coisa. Que privilegiada me sinto por estar perto. E às vezes sou tão ingrata… imaginem que algumas postagens dele eu só vejo passado tempo… dá Deus nozes a quem não tem dentes… esta frase agora deixou-me a pensar que Deus realmente nem sempre é assim tão bem visto pelo povo como nos querem fazer crer…
Bem, mas eu falava antes era do Kaos e dou por mim com as palavras a serem poucas para dizer tanta coisa boa dele. Se eu fosse a Maria João, a cantora, diria logo que ele é uma pessoa maravilhosa, um artista, o melhor… Mas eu fico sem palavras e não sei como vos contar como é bom ter o Kaos aqui ao lado e que ele escreveu coisas lindas do meu pai. E saber como as suas palavras são sinceras e sentidas. Tanto apoio que me deu, que me dá sempre. Parabéns para ti grande Kaos. Quero sempre te ver fazendo mais anos. Muitos anos de vida. Ofereço-lhe este poema:


Longe de ti são ermos os caminhos,

Longe de ti não há luar nem rosas,

Longe de ti há noites silenciosas,

Há dias sem calor, beirais sem ninhos!


Meus olhos são dois velhos pobrezinhos

Perdidos pelas noites invernosas...

Abertos, sonham mãos cariciosas,

Tuas mãos doces, plenas de carinhos!


Os dias são Outonos: choram... choram...

Há crisântemos roxos que descoram...

Há murmúrios dolentes de segredos...


Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!

E ele é, ó meu Amor, pelos espaços,

Fumo leve que foge entre os meus dedos!...


Florbela Espanca - Livro de Soror e Saudade



Hoje não estou no melhor dia. Ontem cheguei a me sentir alegre com os amigos. Mas hoje ficou um vazio. Já começo a sentir a enorme falta da tua pessoa.

10 comentários:

tb disse...

amar é quando a gente vive um no outro....:)
abraços fortes :))))))))

rendadebilros disse...

Que poema mais bonito! Que homenagem tão bonita a tua!
Sabes que o blog wehavekaosinthegarden vinha ontem citado no "Público" ( em Suplemento digital) ?
Beijos.

João Rato disse...

Ai eu estive quase morto no deserto
e o Kaos aqui tão perto!
É bom ver quando os espíritos de desapertam e soltam, sem rodeios, o que são, de onde vêm, e o que querem!

Kaotica disse...

TB

Tu sabes dessas coisas do amor!
Abraços para ti também.

Kaotica disse...

Renda

Por acaso sei, mas foste tu a primeira a dar por isso. Todas essas linhas no jornal, nada mau. O mais importante é que a partir de agora mais gente irá visitar o Kaos e ficará a par das suas sãs opiniões.
Bjos

Kaotica disse...

João Rato

Sabes, a morte é algo que faz ganhar consciência de um modo quase imediato. Na sua presença as coisas tornam-se subitamente comezinhas e pequenas, de pouca importância. É então que dá uma grande vontade de ser, de tirar as máscaras e de querer dizer o que antes parecia indizível.
Um abraço!

Laurentina disse...

O amor faz renascer...

Fica bem
Boa semana
Beijão grande

Kaotica disse...

laurentina

obrigada. Para ti também tudo de bom.

Bjão

Moriae disse...

Vocês são pessoas muito bonitas. Obrigada, P.
Do coração,
Margarida

Kaotica disse...

moriae

Obrigada, moriae, dizes essas coisas lindas e eu fico sempre sem jeito.
Um abraço grande!

Blog Widget by LinkWithin