segunda-feira, setembro 15, 2008

Boletim da Comissão de Defesa da Escola Pública (link para o PDF)


Image Hosted by ImageShack.us

A todos que se interessem pelos problemas do Ensino e da Escola Pública recomendo a leitura do Boletim de Julho da Comissão de Defesa da Escola Pública, resultante do Encontro de 19/Abril.

LER AQUI

8 comentários:

Ana Camarra disse...

Sim porque a Escola Pública está a sofrer um ataque brutal!
Cada vez mais preocupante, estão a tentar preparar uma geração de pessoas que não pensam por sim, estão a tentar levar os professores ao desespero de se sentirm tão inuteis que se desinteressem da aua profissão.
Isto é planeado e deliberado!

beijocas

Kaotica disse...

A quem o dizes! Andei o ano inteiro a pregar aos peixinhos, alertando os pais para a necessidade de tomarem conhecimento das novas leis, participei activamente na defesa da escola pública indo às salas dos professores (e nunca por lá me cruzei com ninguém dos sindicatos), estive na marcha dos 100 000 e na reunião dos movimentos do Ateneu que se lhe seguiu e depois vi esmorecer toda uma classe profissional que se deixou ludibriar pelos seus próprios sindicatos em nome de um acordo temporário (memorando do entendimento) que serviu apenas para adiar o processo para este ano lectivo em que todos os ataques vão à mesma para a frente. E isto quando o restolho estava seco, pronto a unir-se às outras classes trabalhadoras e a queimar esta governação. Porquê?

Arrebenta disse...

E então, sempre vamos sair do EEE e ingressar no Magreb?...
Lá ia o Magreb passar a ter cauda :-)

Ana Camarra disse...

Porquê, não sei amiga.
Também já tenho tido muitos amargos de boca desses.
Fui Delegada Sindical durante 10 anos, andava com o meu carro para todo o lado á minha custa, mamei com chuvadas nos ossos frente a São Bento, levei com uns encontrões da Policia de choque...
E de vez em quando eram aquelas pessoas que eu defendia, pelas quais lutava, que não aderiam.
E deixa que te diga em quanto classe profissional, os professores, tal como os quadros técnicos do estado, nas diversas lutas da função publica, punham o cú de fora, á ultima da hora e assinavam acodos á parte.
Em greves muitas escolas fechavam porque o pessoal auxiliar que era na maioria contratado fazia greve.
Ainda temos um longo caminho a percorrer.
Mas o que fizeste não foi pregar aos peixinhos, antes pelo contrário, a manifestação e as movimentações dos professores serviram para abalar a estrutura e os abanões produzem rachas, por isso serviu.
Serviu também para alertar a opinião publica para o problema da educação.
Portanto nada foi em vão.
Temos a razão do nosso lado!

beijocas

Hertz disse...

pois...os profs deixaram que os sindicatos os desarmassem.

Kaotica disse...

arrebenta

querido amigo

quem tem cauda tem medo! Também não há-de ser assim um karma interrupto! Agora que se alguma vez tivermos a coragem de dar o mote a essa revolução, que vamos penas vamos. Não vai ser fácil reconstruir o que andam desde os anos 80 a destruir. E de certeza que a Fundação Champôlimão não ia dar uma mãozinha para tirar o país do marasmo! Tinhamos mesmo que ser nós a batalhar que as ajudas haviam de ser poucas (isto se não tivéssemos um bloqueio da UE, para "ajudar"). Claro que não pode ser só Portugal a querer mas nos outros países estarão todos contentes com esta UE?

Abraço (tenho saudades de te pôr a vista em cima!)

Maria Branco disse...

Olá Amiga

Quem quiser assinar o o abaixo-assinado em defesa da escola pública, aqui fica o link.

http://www.escolapublica.com

Temos todos que carregar o nosso grão de areia para construir a montanha.

Um abraço

Isabel

Kaotica disse...

isabel

Obrigada pelo link! Há que atacar por todas as frentes!

Um abraço

Blog Widget by LinkWithin