quinta-feira, outubro 22, 2009

Estudos Bíblicos: Análise de um excerto de S. Lucas


Baixar a Bíblia em MP3



Ora vejamos:

Se eu quisesse começar hoje a ler a Bíblia, provavelmente fazia uma busca no Goggle e constatava que o texto bíblico não é a primeira coisa que se encontra, mas sim coisas que se dizem sobre o texto bíblico. A tramóia começou logo no tempo de Jesus. Assim que ele se finou começaram outros a dizer o que ele tinha dito. Mas a mim, já que estou longe de poder aceder à palavra de Jesus, quanto mais de Deus, interessa-me mais ler o chamado texto A e de preferência sem consulta prévia dos textos B, que esses já vêm viciados.. Prefiro aqueles textos de que muito se fala mas que poucos se lêem. Por isso procurei seguir o rasto de o que o verdadeiro cristão dos tempos modernos encontra na Net se quiser ler a Bíblia. Esta é a leitura recomendada para o dia de hoje aqui.


(Versão: Português: João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada)


Lucas 3:1 No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes, tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Ituréia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene,


[Tudo boa gente: Tibério, Pilatos, Herodes e outros Caifás da mesma estirpe, instalados no poder há anos]


Lucas 3:2 sendo sumos sacerdotes Anás e Caifás, veio a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto.


[o jovem foi passear ao deserto e veio de lá com a palavra de Deus. Pois claro: esteve a pensar pela sua cabeça longe daqueles maus agouros]


Lucas 3:3 Ele percorreu toda a circunvizinhança do Jordão, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados,


[ele pensou e viu que estava rodeado de tarados, traidores e ladrões, como nós agora quando nos pomos a pensar nestas coisas. Agora imaginem no deserto...]


Lucas 3:4 conforme está escrito no livro das palavras do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.


[o rapaz que ainda era verde veio de lá cheio de bons pensamentos e queria endireitá-los, pô-los no bom caminho]


Lucas 3:5 Todo vale será aterrado, e nivelados todos os montes e outeiros; os caminhos tortuosos serão retificados, e os escabrosos, aplanados;


[queria o bom do rapaz corrigir a arquitectura divina, rectificar e aplanar, ou, em sentido figurado: exercer a justiça para endireitar todos aqueles malandros seus contemporâneos. Oh como o compreendo…]


Lucas 3:6 e toda carne verá a salvação de Deus


[de repente dá-lhe a fome e lembra-se de dizer esta, ainda inspirado pelo sol quente do deserto]


Lucas 3:7 Dizia ele, pois, às multidões que saíam para serem batizadas: Raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura?


[Entretanto as multidões com medo que a conversa fosse com elas, toca de se baptizar já que assim lhes era prometida a salvação. Mas ele não ficou contente: as multidões que apanhassem com a próxima ira divina, pois também elas eram uma cambada de víboras pecadoras. Sim, a conversa também era com elas!]


Lucas 3:8 Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.


[Dizia-lhes: julgam que lhes basta baptizarem-se? Arrependam-se que é muito bonito e não comecem para aí ó pai ó pai porque vocês não passam de uns calhaus com olhos]


Lucas 3:9 E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo


[Já naquela altura o puto andava preocupado com o corte de árvores. Mas como davam para atear o fogo e no deserto à noite fazia frio, fogo com elas. Mas se virmos bem o tipo também já tinha o bichinho do autoritarismo: não dá frutos, abate-se!]


Lucas 3:10 Então, as multidões o interrogavam, dizendo: Que havemos, pois, de fazer?


[Mas ele até tinha alguma razão, como se vê pela pergunta das multidões. Espera aí, grande tanga: como pode uma multidão interrogar? Ah! Já sei: já vi uma a perguntar porque é que a ministra ainda não se foi embora. Mas a multidão pelos vistos sozinha nunca sabe muito bem o que há-de fazer. Já todos se tinham baptizado. Que mais haviam eles de fazer?

O versículo recomendado acabava assim, narrativa em aberto]


No final pensei: mas afinal havia ou não mais do que uma interpretação? Este episódio é edificante? Se eu tivesse que o ensinar aos meus filhos o que lhes diria? Que relações poderia eu fazer para lhes explicar, para eles poderem entender? O que dirão aos filhos dos outros nas catequeses? Como se pode dar a volta a este texto? Que função teria ele no momento em que foi produzido? Para que tipo de sociedade a Bíblia foi escrita? Serão os seus ensinamentos mais preciosos os humanos? Que Deus é este cujo seu próprio criador o teme? Poderá um Deus produzido pela imaginação humana ser um Deus perfeito? Por que tantos se tornaram adoradores desse Deus implacável, personagem de um livro tornado sagrado por uma Igreja historicamente pecadora?



2 comentários:

Marreta disse...

Amen.

Nádia Jururu disse...

Morri a rir ao ler isto.

Blog Widget by LinkWithin